segunda-feira, abril 16, 2007

Túmulos e Ossários

Ontem à noite, a SIC exibiu o mais recente documentário sobre a suposta descoberta do túmulo de Jesus. Todo o documentário visa apresentar evidências que comprovem a ideia de que o Senhor Jesus, para além de ter sido casado e ter tido um filho morreu, foi sepultado, tendo os seus restos mortais sido depositados num ossário.
Há tempos atrás, tivémos o Codigo DaVinci, que em vez de um filho, defendia a ideia de uma filha. Críticos, vejam já se se decidem!??
Agora temos este documentário que ataca o maior pilar da fé cristã: a ressurreição de Cristo.

A SIC prestou um bom serviço ao ter como comentadora ao documentário uma arqueóloga forense que foi capaz de apresentar diversas incoerências ciêntíficas do documentário. Mas mesmo que os "estudiosos" continuem a forçar algumas evidências interessantes de modo a dizerem o que eles querem, a fé cristã continuará bem alicerçada na Palavra de Deus que afirma:

"E, se Cristo, não ressuscitou, é vã a nossa pregação e vã a vossa fé...
Mas de facto, Cristo ressuscitou dentre os mortos." (I Coríntios 15: 13,20)

2 comentários:

Adilson Marques disse...

Vitor, também assisti ao programa e devo dizer, como investigador, que achei as evidências muito forçadas. Quem faz investigação daquela forma pode provar o que quiser. Mas a minha maior desilusão não foi o documentário, mas um dos comentadores, infelizmente aquele de quem se esperava mais - o teólogo. Quando questionado se a ser verdade o documentário isso abalaria a fé cristã, o sujeito responde que pessoalmente não ficaria abalado. Sejamos sinceros, deveria lá ter estado um melhor defensor da fé cristã.
Enfim, apesar de documentários e comentadores, a maior certeza que temos, e da qual depende não apenas a nossa fé mas a nossa vida, é que Cristo verdadeiramenre ressuscitou, tão certo como ter escrito este texto. Um abraço.

Demo disse...

Penso que este tipo de posição é mera presunção... Deveremos alargar os nossos horizontes e estarmos receptivos a algo mais do que o conteúdo seleccionado (por conveniência) de apenas alguns textos... existem outros reconhecidamente válidos e comprometedores para alguns supervisores implacáveis...