quinta-feira, fevereiro 09, 2006

OPA do Espírito Santo

Não é o que estão a pensar! Não se trata da Oferta Pública de Aquisição do banco Espírito Santo mas sim da história de Simão, o mágico, narrada em Actos 8:9-25 que nos revela uma verdadeira OPA hostil do Divino Espírito Santo.

Simão era um homem que parecia ter o poder de fazer algumas ilusões e com isso "convencia" as pessoas. Quando porém viu que Filipe operava sinais realmente poderosos nas vidas das pessoas e estas o seguiam, decidiu também "abraçar a fé cristã" tendo sido até baptizado.
Os apóstolos Pedro e João, que foram entretanto aquela região, manifestaram a presença real do Espírito Santo ao imporem as mãos sobre os crentes, declarando assim que este poder divino era concedido aos que criam no Senhor Jesus Cristo. Ao ver Simão que O Espírito Santo era concedido pela imposição de mãos dos apóstolos, decidiu passar a uma estratégia ofensiva e
fez-lhes uma oferta pública de aquisição desse poder. Esta sim, foi uma OPA hostil, provocante e ignorante.
Pedro, conhecedor da Verdade fez então uma declaração pública: "O teu dinheiro seja contigo para perdição pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de Deus. Não tens parte nem sorte neste ministério, porque o teu coração não é recto diante de Deus..."

Actualmente, também há quem pense que o dom do Espírito Santo, o seu poder e benefícios, também se podem comprar. Por isso, as suas motivações para seguir a Cristo têm a ver com os benefícios ou milagres que d'Ele esperam vir a obter. Outros há que tentam mesmo vender tais benefícios ou milagres, as bençãos de Deus, a pessoas desesperadas por uma réstea de esperança. Todos estes, como Simão, precisam arrepender-se.

O Espírito Santo é concedido, pela GRAÇA, e não pode ser comprado ou vendido!

A foto é de um vitral do Mosteiro dos Jerónimos

7 comentários:

Pdivulg disse...

"OPA hostil" gostei da comparação.

Vilma disse...

Excelente! Fez-me rir e pensar!

JOINCANTO disse...

eheheh
Excelente! Mas cuidado que podemos pensar que o Espírito Santo é monopólio de uma ou outra denominação...

Ego ipse disse...

Ao contrário da outra, esta nunca é aprovada!

rui miguel duarte disse...

kefir (podes procurar na net), também conhecido por flor do iogurte, é palavra de origem turca, significa algo como "bem estar" e designa colónias de bactérias benignas que se alimentam da lactose (açúcar do leite), produzindo um coalho/ soro, que, depois de coado, se pode beber. os habitantes da região do Cáucaso cultivam-no e consomem-no, tendo em resultado baixa incidência de cancros. tem efeitos benéficos na saúde.
o sabor? define-se em função do tempo que estiver a ser trabalhado pelas bactérias, desde 24 horas a vários dias. quantos mais dias, mais ácido será o sabor. sabe a algo como iogurte natural líquido. desde que me arranjaram kefir, deixei de comprar iogurte.
Presunto… procuro evitar por motivos de cuidados com níveis de colesterol. Pena… pois por Janeiro e Fev não faltam feiras de fumeiro em Trás-os-Montes.
um abraço

Vitor Mota disse...

Para aqueles que não estão a perceber a relação do kefir com a OPA, tem toda a razão porque não há nenhuma!! Era apenas a resposta a uma pergunta que eu fiz no blog do Rui.Obrigado Rui pela informação sobre o Kefir.

HuperNikon disse...

gostei da comparação...:)