quinta-feira, junho 15, 2006

Avaliando...

Nos últimos dias muito se tem falado acerca da avaliação dos professores, nomeadamente pelos Encarregados de Educação. Discordo, não por temer uma avaliação mas por ser feita particularmente pelos familares directos daqueles que eu próprio tenho de avaliar.
Como poderá haver "rigor e transparência" nestas circunstâncias, se aqueles que eu tenho de avaliar, serão também os instrumentos usados para também me avaliar?

Por outro lado, o que seria realmente fundamental seria melhorar o processo de avaliação dos alunos. Este processo está cada vez menos exigente e cada vez mais sujeito a pressões exteriores para se terem estatísticas positivas em detrimento de uma verdadeira aprendizagem.

Como avaliar adequadamente um professor, se cada vez mais se retira a necessidade de esforço, empenho e trabalho dos alunos? Será possível que ele tenha sucesso assim?

9 comentários:

rui miguel duarte disse...

Concordo. O gabinete do Ministério, com a proposta de revisão do Estatuto em que essa modalidade de avaliação se insere, leva à prática a fábula do Capuchinho Vermelho. O aluno é o Capuchinho, inocente, puro e essencialmente bom. A mãe e a avó representam a família, pobres, humildes, nobres pessoas de bem. O lobo é o professor, absolutamente perverso e degenerado.

JOINCANTO disse...

Vitor, concordo contigo, mas o que fazer aos (maus) professores que se estão a marimbar para os alunos e para o ensino, condicionando assim a aprendizagem e o sucesso dos alunos? Quem devia garantir e preservar a qualidade do ensino?

Vitor Mota disse...

Jo, certamente não são os pais que estão em condições de garantir e preservar a qualidade do ensino! Deve ser o próprio Estado.
Quanto a professores que se "marimbam", julgo que são uma minoria! E o que fazer aos pais que também se marimbam? E aos políticos? E aos médicos? E aos advogados? E aos trabalhadores gerais? E aos pastores?!?

JOINCANTO disse...

Mandá-los para a fogueira ou então um bom chicote com tiras de aço...
ahahahaha



(esqueceste-te dos (maus) desenhadores!)

Raquel disse...

Essa medida prevista na proposta de Estatuto da Carreira Docente é apenas a ponta do iceberg... Mas ainda a propósito de avaliação recordo o que ouvi Marcelo Rebelo de Sousa dizer: então os pais têm competência para avaliar e não têm para ajudar na realização dos TPCs??

Pdivulg disse...

Não é uma solução fácil, porque infelizmente há muita falta de profissionalismo, uma grande parte apenas se preocupa com o "fim do mês" Mas também reconheço que os Pais não serão a melhor forma de avaliação,,,

Adilson C. Marques disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Adilson C. Marques disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Adilson C. Marques disse...

Ainda em relação aos professores que se "marimbam", fico triste por ver que há muitos "marimbadores" e incompetentes a ocuparem lugares que deveriam ser de pessoas trabalhadoras e responsáveis. Esta medida não parece ser a melhor para a avaliação dos professores. Eu gostaria de ser avaliado por quem tem mais habilitações e/ou experiência do que eu - por um expert em Ciências da Educação. Nunca vi um gestor ser avaliado pelo seu subalterno, ou um professor avaliar o trabalho de um engenheiro.