sábado, março 15, 2008

O Simplex da Avaliação

9 comentários:

Tito disse...

Mt bom!! Já percebi ke és contra!!

Vitor Mota disse...

Sou contra esta avaliação pela forma como está concebida e como foi apresentada para ser aplicada sem preparação. Não é assim que se obtêm resultados reais! Mas como o que interessa ao ME são resultados fictícios, vai tê-los, ainda esta ano, para os publicitar de forma vitoriosa!

Vitor Mota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Penedo disse...

Vitor,
Na verdade muito se tem falado sobre a avaliação. Claro que não concordo com muitos dos aspectos que são apresentado, conduto, ficar como estamos também nada vai contribuir para o melhoramento do sucesso escolar dos nossos alunos (e devemos sempre pensar que a nossa escola é a menos eficaz da Europa, nunca podendo os professores colocarem a culpa em outros factores, pois a ivestigação demonstra que o sucesso depende fundamentalmente dos professores), logo prefiro o que me tem sido apresentado, com a esperança que possa melhorar. Entre o mau (sermos já avaliados) e o muito mau (não querermos ser avaliados), prefiro o mau.
Um abraço.

Vitor Mota disse...

O sucesso só depende fundamentalmente dos professores se os alunos também fizerem a sua parte. Quanto à tua escolha pelo mau, não percebo como podes considerar algo mau e ao mesmo tempo desejá-lo!
Por outro lado, o "muito mau" não é querermos ser avaliados, (porque a maioria concorda com a avaliação) mas sim ser-se avaliado duma forma apressada, atabalhoada, e angustiante. Por isso eu não escolhia nem o mau, nem o muito mau, mas sim a opção por uma avaliação honesta, preparada e potenciadora do real sucesso educativo.

Penedo disse...

Vitor,
Escolho o mau quando comparado com o muito mau.
Na verdade se a avaliação é um grande desejo dos professores, porque razão nunca a reinvindicaram? Terás que reconhecer que é no mínimo estranho toda uma classe profissional querer algo e nunca ter lutado por isso. Penso que nunca ninguém viu um tal levantamento de professores a pedir avaliação, como se viu a discordarem da que foi proposta.
Contudo, quando o poder político impões rejeitam e não apresentam alternativas. Ou seja, as alternativas que apresentam será não existir avaliação já.
Reitero, não estou satisfeito com este sistema de avaliação, mas entre ter este e não ter nenhum, escolho este.
Um abraço.

Vitor Mota disse...

Eu não disse que a avaliação é um grande desejo dos professores. Não acho que seja. Disse que a maioria concorda com ela e portanto a aceita. Mas tu achas mesmo que não há nenhuma avaliação até agora? Não achas que somos avaliados pelos alunos, pelos pais e acima de tudo por nós próprios? Achas mesmo que esta avaliação vai melhorar verdadeiramente o sistema educativo? Eu acho que vai melhorar mas serão os resultados de fidedignos? Receio que não.

Penedo disse...

Vitor,
A avaliação que temos não tem impedido muitos erros na Escola. Um exemplo prático, real e absurdo: um professor titular disse-me que gostaria um dia de planificar as aulas como eu o faço. O mesmo homem já me pediu ajuda na elaboração de fichas de observação e registo. Eu, um simples professor inexperiente e contratado, sei o que é fazer uma planificação porque é o mínimo que qualquer professor sabe fazer, como pode alguém ter chegado a titular sem saber fazer isso? Acredita que muitos outros exemplos poderia dar. Achas verdadeiramente que este professor foi avaliado ao longo da sua carreira? Creio que não. Se existir uma avaliação formal, diferente do relatório que os professores entregam no final do ano lectivo e que, provavelmente, ninguém lê, a incopetência desse professor será manifesta, e, numa próxima vez não ascenderá mais na carreira como o fez até ao momento.
Nunca disse que este sistema de avaliação é o melhor, mas antes esse do que continuar a ver incompetentes a ascenderem na carreira a tirarem o lugar dos professores competentes.
Um abraço.

Vitor Mota disse...

Pois, tocaste num ponto fundamental: serão professores como esses que já ascenderam ao máximo da carreira (e isto sim sem avaliação) e que te irão avaliar. Achas que isso à partida é um bom princípio na avaliação?

ps-deixo aqui uma palavra de apreço a diversos professores titulares que considero competentes para avaliar os outros. Mas certamente tb haverá aqueles que não o são. Por isso todo este processo ficou inquinado quando se designou alguns como "eleitos" para titulares, sem avaliar a sua competência, que tantas críticas levantou por ter criou inúmeras injustiças.