quarta-feira, julho 12, 2006

Votos de Casamento! Pra quê?


Numa época em que em Portugal, aproximadamente, 1 em cada 3 casamentos resulta em divórcio, será relevante reflectirmos no compromisso que o casamento deve ter.

Alguém disse que: “No casamento, cada um pode apoiar o caminho espiritual do outro e ajudar a assegurar que o potencial da vida humana não seja desperdiçado.”

E, numa época em que, cada vez mais, o individualismo e o atingir do potencial individual de cada ser humano é uma prioridade, sem dúvida que, o casamento vivido nesta perspectiva de um apoiar e ajudar o outro a desenvolver o seu potencial não é um alvo fácil de atingir.

Concordo com a escrita de votos de casamento personalizados. Estes, mais do que meras repetições de umas quantas frases feitas, devem significar aquilo que cada um pretende praticar no casamento.

10 comentários:

mulheres_estejam_caladas disse...

até que ponto o escrever votos personalizados de casamento não é tb sinal de uma época individualista? Cada qual decide o que promete ao seu conjuge...

O Arauto disse...

O CASAMENTO

* Indicado para quem está só e desejoso.
* Aconselhado para quem gosta de partilhar.
* Praticado por quem gosta do conjunto.

Mas se não suporta nenhuma das alternativas acima,
o casamento não é, por hora, tua opção.

Conselho:

Se desejas estar sempre com a pessoa que tu pensas que ama,
começes a aprender a partilhar e viver em conjunto, pois
o casamento é mais dar do que receber.
E se tu és daqueles que gostam de receber,
então aprendas a perder.

http://o-arauto-pt.spaces.msn.com/

Vitor Mota disse...

"mulher que deveria estar calada" :), sim, por um lado há essa possibilidade de cada um dizer o que lhe convém, mas isso não acontecerá se cada um tiver o pressuposto de procurar desenvolver o potencial do outro e a felicidade do outro.

Continua a falar!

Vitor Mota disse...

Arauto,

Obrigado pelos seus conselhos.
Um abraço
V.

mulheres_estejam_caladas disse...

whatever vitor...
Mas que uma coisa são os votos de casamento tradicionais onde todos sabem o que significa o casamento e os votos reflectem isso mesmo: o que toda uma sociedade pensa que é o casamento... e outra é: que 2 pessoas decidam o que é o casamento para elas e isso se reflicta nos "seus" votos que dizem no "seu" casamento...
Não estou a dizer que é mau. Só que quando falamos de sociedade individualista temos que perceber que também gostamos de algumas coisas que essa sociedade oferece, e uma delas é a liberdade pessoal de escolha...

Vitor Mota disse...

Sim, eu creio na liberdade pessoal de escolha dentro dos critérios e limites que Deus estabeleceu.
Mas já percebi que quando fores pastora e casares alguém, vais fazer com que repita os votos institucionalizados. :) Já agora, como são eles?

mulheres_estejam_caladas disse...

ehehehe...não, não vou fazê-los repetir votos institucionalizados, até porque na minha igreja não casamos. pedimos a bênção matrimonial para o casal.
O meu ponto de argumento...é o individualismo da sociedade onde vivemos é bom pa umas coisas e mau para outras e que este bom ou mau depende da avaliação de cada um de nós...não sei até que ponto há um bem absoluto ou uma forma correcta de ver o casamento. Aquilo que são hoje para nós as bases lógicas do casamento: amor, fidelidade, lealdade, espaço de crescimento mútuo, não têm nada que ver com as bases da instituição casamento que podemos ver na bíblia, ou do que era o casamento há 100 anos atrás... Não estou a falar de havia ou não essas coisas nos casamentos bíblicos ou de há 100 anos, mas as razões porque as pesoas se casavam não eram as mesmas pelas quais hoje nós achamos correcto que as pessas se casem...
Por exemplo, no Antigo Testamento as bases lógicas para o casamemneto eram a procriação, a economia estrutural do clá ou da família, o amparo das pessoas mais ffageis da sociedade que não podiam viver sem estar dependentes de um homem: a mulher.
hoje em dia se uma mulher é estéril nenhum cristão acha que o marido deva arranjar uma outra mulher para ter filhos, a fidelidade deve ser mútua e não só da mulher e uma mulher solteira vive tão dignamente como um homem... então as bases lógicas e fundamentais do casamento mudaram... Nâo há uma lei normativa em realação ao casamento ao longo do canon bíblico... há princípios, há indicações de respeito e cuidado em relação ao outro... mas as logíticas não são semelhantes....

Pdivulg disse...

Liberdade, responsabilida e respeito mútuo, quase parece o "lema" francês , mas parencem-me ser os tópicos fundamentais ao matrimónio. Não é uma questão de compromissos escritos ou de "acordos pré-nupciais" mas sim de vontade em vencer qualquer obstáculo que a vida nos ponha pela frente.

Vitor Mota disse...

Bom, "mulher supostamente calada", não era meu propósito discutir o valor ou significado do casamento actual em contraste com o antigo. Apenas quis salientar a importância de definir (de modo individualista talvez, mas também altruista) os votos como promessas a cumprir ao outro. Isso é bom. Quanto ao resto, fica para outras núpcias!

Pdivulg, concordo com o lema. São palavras sem dúvida importantes.

tito pereira disse...

Os meus votos, no meu casamento (caso aconteça) serão inequivocamente pensados e escritos por mim. Aquilo que desejo para além de fatal honestidade disso mesmo...é que sejam inspirados pelo Espírito Santo. Votos escritos por outros...são isso mesmo...escritos por outros.