domingo, outubro 30, 2005

Qualidades, precisam-se!

Dois textos bíblicos, I Timóteo 3:1-7 e Tito 1:6-9 apresentam as qualidades que os responsáveis (pastores, presbíteros ou anciãos) devem ter na liderança das Igrejas locais.
É interessante sabermos que, no início da era cristã, algumas destas qualidades eram também examinadas para ver se uma pessoa era conveniente para cargos públicos. Alguns países, actualmente e de forma sábia, ainda seguem prática semelhante.
Ao nível público do nosso país, muito pouco valor é dado, por exemplo, a procurar ser irrepreensível, a ter boa reputação, a ser dedicado e justo, a não ser orgulhoso nem a ter mau temperamento. (Basta recordarmos alguns resultados das últimas eleições!).
E ao nível cristão, como são escolhidos aqueles que têm responsabilidades de liderar as Igrejas locais? Basta declarar que se recebeu uma chamada divina para o ministério, ou continuam a ser examinadas as qualidades descritas de modo a ser pastor e líder?
Parece-me que aqueles que fazem parte das lideranças evangélicas já estabelecidas há décadas, precisam cada vez mais de saber identificar aqueles que têm o desejo de servir no ministério eclesiástico, examinando se possuem as qualidades necessárias ou o potencial para as desenvolver, motivando-os a obterem uma formação bíblico-teológica que os capacite para tal.
Creio nos dons do Espírito Santo mas creio também que é necessária sabedoria para colocar as pessoas certas nas funções certas, para as quais os seus dons e a sua formação integral (qualidades) são essenciais. Parece-me que era este o pensamento de Paulo com as suas instruções a Timóteo e a Tito.

4 comentários:

Ego ipse disse...

Partilho da mesma opinião... (e infelizmente cada vez mais!) O simples facto de algue frequentar uma escola biblica não deveria ser suficiente para assumir qq cargo/responsabilidade na igreja, mas vou mais longe mesmo para pertencer à membrazia da igreja (ser baptizado) antigamente teriamos 2 conselheiros que nos visitavam e avaliavam a nossa vida e testemunho... Enfim (Lucas 18:8)

Filipe Spinner disse...

Talvez nos tenhamos deixado levar pela cultura do facilitismo. E uma das razões porque o Evangelho está tão desacreditado na nossa sociedade vem com os péssimos exemplos de lideranças cujo caracter não provado e nem aprovado.

Um Abraço!

Paula disse...

Sem dúvida que essas qualidades são mto importantes, e sem dúvida que por vezes n as encontramos... Quanto à escolha, n sei o que diga, só sei que Deus escolhe pessoas para ministérios específicos, dá-lhes dons específicos e por isso não podemos ser meros gestores de recursos humanos. Deus dirigirá as pessoas para os "cargos" certos, mas é como dizes, esses critérios são para ter em alta consideração.

Vitor Mota disse...

Sim Paula, concordo que a Igreja não ´consiste em gerir recusos humanos mas sim dons. Mas o que vejo, em muitas situações, é irmãos com funções para as quais não têm nem o dom nem as qualidades e ao mesmo tempo deixam de fazer aquilo para o qual Deus os capacitou divinamente.