terça-feira, outubro 04, 2005

Escrita moderna

Já sabia que a linguagem dos telemóveis andava a revolucionar a escrita da língua Portuguesa. Não sabia é que já tinha chegado ao ponto da mensagem que hoje li, de um aluno do 9º ano, da escola onde lecciono. Vejam com os vossos próprios olhos!

Para além dos erros ortográficos graves, será que também devemos começar a escrever, para que a "malta jovem" entenda o Evangelho, qualquer coisa do tipo:

"Pq D. amou o pexoal d tal maneira k deu o xeu filho JC pa k td akele k nele kre n morra m/ tenha a vd eterna"?

p.s.- João 3:16

8 comentários:

JOINCANTO disse...

ehehehe
"Bué da fixe"!

Anónimo disse...

Oi Vitor !
E não é que, desde a reunião do almoço até agora, ficaste um expert na linguagem dos telélé ?!
A "tanga" que estes miúdos arranjam para se baldarem às "aulas de substituição" ou serão "actividades de ocupação lectiva"????
Que tal preparares uma aula nessa linguagem ? Talvez fosse bué motivadora ...
Bom feriado !
TL

Vitor Mota disse...

Eu também acho que os professores de língua portuguesa deviam ficar realmente preocupados com a situação, porque não se trata apenas de substituir e retirar letras mas principalmente de já não saberem como se escrevem as palavras! Por exemplo, "nus" em vez de "nos"?!

Eduardo Nuno Fonseca disse...

No comment! NF

Vilma disse...

:)))
é assim... já existem biblias com a tradução da linguagem actual...será essa a próxima?

Vitor Mota disse...

Pois, quanto a Bíblias não sei, mas pelo menos poderia ser feito um folheto evangelístico usando essa linguagem. Quem quiser aproveitar a ideia (se é que ninguém ainda a teve) pode. Força!

Flá Mendes disse...

Deus nos salve, ou melhor, Os salve... :)

Lenita disse...

Olá!

Para a língua Portuguesa em Portugal isso é alarmante, mas os Brasileiros também já escrevem como falam, sem "as", "aos", "às" imensas vezes, e já há muito tempo. Basta fazer uma pesquisa na internet.

Não será preciso mudar as Bíblias. essa moda da escrita "telelé" vai passar. Se não fosse assim, andaríamos ainda de iô-iô na mão e passariamos o tempo a jogar com o cubo mágico.
Essa moda também vai passar, mas estou como Paulo, se necessa´rio fosse, também usaríamos essa linguagem para alcançar alguém para a família de Deus!

Bjs!

Lenita